A arte da procrastinação por John Perry

image

Às vezes eu fico pensando se todos não temos um pouquinho de procrastinação dentro de nós. Pode ter procrastinadores natos, aqueles que tem procrastinação no sangue, mas não consigo acreditar que há pessoas que nunca procrastinam.

Sou o tipo de pessoa que gosta de resolver tudo e, se possível, na hora. Quando chego em casa a primeira coisa que faço é pendurar a chave no chaveiro ao lado da porta, coloco a bolsa no lugar que defini para ela, tiro os sapatos e já deixo onde devem estar. As correspondências que recebemos – agora que deixamos a maioria online chega beeeem menos – são colocadas no porta-carta, já sem os spams que vão direto pro lixo. Entende onde quero chegar? Eu poderia deixar as cartas jogadas na mesa junto com os spams e cuidar dessa pilha depois, poderia deixar a bolsa e o sapato em qualquer lugar e guardar depois, poderia jogar a chave em qualquer canto e cuidar da busca por ela depois. Para boa parte das coisas eu opto o agora e não o depois.

Mas seria errado da minha parte dizer que eu nunca procrastino. Por mais que eu goste de fazer tudo agora, por mais que eu tenha hábitos que evitem a procrastinação, sim, eu procrastino também! \o/

Precisamos entender o motivo de procrastinarmos. Você sempre procrastina? Para tudo? Ou você é como eu e procrastina só às vezes? Eu procrastino algumas tarefas, sim, mas também me forço a entender o porquê estou deixando aquela tarefa para depois. Às vezes é só dividir a tarefa em várias, fica mais fácil de ver o final e mais rápido de terminar, às vezes é algo que não quero mesmo fazer, se tiver a possibilidade de passar para outra pessoa que passe, às vezes é algo que não quero mas tenho de fazer, então me forço de uma vez. Veja, você precisa entender quando procrastina e o motivo de fazer isso para ver o que pode mudar.

A arte da procrastinação, como realizar tarefas deixando elas para depois por John Perry

Esse livro é um mundo a parte para mim. Eu não consigo concordar com tudo que ele diz e muita coisa chega a me dar alergia quando ele fala. Me dá agonia só de ver como ele não termina logo aquela coisa! Por outro lado eu consegui me aproximar mais da cabeça de quem procrastina sempre, daqueles que procrastinam pra tudo, ousaria a dizer que gostariam de deixar a procrastinação para depois também.

John mostra como as coisas funcionam para quem procrastina e como eles também se sentem angustiados quando não fazem as coisas, atrasam e atrapalham a vida de quem precisava deles. Em nenhum momento ele diz que é uma coisa bacana, que se divertem com os atrasos ou que não ligam para o que acontece ou pensam deles, na verdade ele diz bem o contrário.

Também apresenta um caminho alternativo para os procrastinadores, a procrastinação estruturada. Ele mostra como usar sua procrastinação ao seu favor, de forma que você faça tarefas enquanto procrastina outra tarefa. Se isso funcionar para você, por que não?

Para os que não gostam muito de ler ou que procrastinam a leitura, já deixo avisado que é um livro curtinho e de leitura tranquila. Acho válido a leitura para quem procrastina e para quem não procrastina também, mas nesse caso leia de mente aberta para entender os procrastinadores e encontrar uma maneira de contornar ao invés de criticar.

Embora eu prefira não procrastinar e tentar fazer o que me propus a fazer, também tento entender como funciona a cabeça de quem deixa tudo para depois. Não vou dizer que atitudes de procrastinação de outras pessoas que tenham relação comigo não me irrite, porque irrita, mas boto fé que a procrastinação esteja ligada com interesse e personalidade. Você pode ser uma pessoa que resolve, mas talvez procrastine aquela tarefa que não tem interesse. Você pode ser o super procrastinador, é da sua personalidade, mas talvez não procrastine tanto quando realmente tem interesse em alguma coisa.

Não estou aqui para dizer como funciona a procrastinação ou resolver ela na sua vida para nunca mais ter algo do gênero. Não, não. Eu prefiro te mostrar que você não está sozinho no mundo, todo mundo procrastina e até quem não tenha esse costume. Apenas faça com que essa procrastinação seja útil pra você – nesse caso, te recomendo fortemente A Arte da Procrastinação – e identifique o que pode mudar, alterar, delegar, qualquer coisa para que seja resolvido mesmo que não seja feito por você. :)

✓ publicado em 02 de maio de 2016 por Bruna Diniz